Cores Primárias - Edição 14
Imprimir

Museus-casas “cariocas”

Posted in Especial

Renata Guimarães Puig 

Especial para Cores Primárias

É preciso explicitar o modo como a sociedade em questão traça a fronteira entre o visível e o invisível. A partir daí, é possível compreender o que é significante para uma dada sociedade, quais os objetos que privilegia e quais são os comportamentos que estes objetos impõem a colecionadores. (POMIAN, 1984, p.53)

 
Imprimir

"no universo da cultura o centro está em toda parte"*

Escrito por Margarida Nepomuceno. Posted in América Latina

                    Em novembro de 2006, esta Revista publicou um artigo da crítica de arte Mariza Bertoli fazendo um convite  para que críticos e historiadores substituam as velhas categorias utilizadas para a análise da arte latino americana por critérios pautados na realidade histórica do próprio Continente. Isso exige, segundo Bertoli, um exercício de desconstrução de uma trama de valores estéticos, categorias moldadas desde outros centros de conhecimento, que nos impedem de enxergar semelhanças e diferenças entre as produções simbólicas locais e as suas relações com um processo histórico de formação das identidades latino-americanas. 

             Esta publicação endossa o convite da crítica de arte disponibilizando este espaço para artistas, críticos e jornalistas  formarem uma rede de informações e reflexões sobre a arte que se faz na América Latina, esteja ela dentro ou fora dos catálogos, nas bienais ou galerias, nas ruas ou muros ou apenas gestando em ateliês coletivos. 
Bem vindos!
Margarida Nepomuceno
 
*Miguel Reale (1910-2006)
Add a comment
Imprimir

Arte e Identidade na América Latina

Escrito por Mariza Bertoli. Posted in América Latina

Convocatória geral para a redescoberta da arte latino-americana 

Mariza Bertoli

Fernando Leal, A Epopéia de Bolívar: "Bolívar quando menino", " O Libertador", "A morte de Bolívar"(1930).

Aquarela sobre papel. Coleção Fernando Leal Audirac.

                  Em congressos, seminários e encontros sobre o tema, críticos e teóricos da arte, com diferentes posicionamentos, têm concordado em um ponto: a urgência de um ideário para a crítica de arte que possa revelar o próprio da nossa arte.Efetivamente a intenção não é mostrar uma homogeneidade, mas apontar para os caminhos do projeto identitário, tão plural quanto as nossas culturas, tão similar na trama simbólica.   
 
Imprimir

O que não tem fim nem começo, revela um tempo circular entre a tradição e o contemporâneo

Escrito por Da Redação. Posted in Exposições

 

 

" Pulso", Maria Nepomuceno, 2012. Fundação Eva Klabin, Rio de Janeiro. Foto Mario Grisolli.
 
 
                 Desde suas últimas individuais na Victoria Miro, em Londres, com a instalação The Force, e na Bienal de Esculturas de ARTZUID, em Amsterdam, ambas em 2011, as  esculturas de Maria Nepomuceno procuram ultrapassar os espaços delimitados para as mostras das galerias e seguir uma lógica espacial própria. Quase sempre o desenho de suas instalações aproveita-se dos recursos oferecidos pela arquitetura  con-formando-se ou estendendo-se para espaços alternativos que pouco tem a ver com o que denominamos, ou denominávamos, até pelo menos a década de 70, de espaço expositivo.  Leia também nesta edição artigo de Renata Puig sobre a formação das casas-museus, no Rio de Janeiro.
 
Imprimir

Intervenção de Corvalán-Pincheira na Galeria da Memória reflete sobre a história política chilena

Posted in Edição 14

 

Carolina Lara
Do Chile, especial para Cores Primárias


Máximo Corvalán-Pincheira

Esculturas iluminadas que parecem insetos ou moléculas brilhando na penumbra, o som da agua e o zumbido invasivo da eletricidade: a intervenção de Máximo Corvalán-Pincheira na Galería de la Memoria, no Museu da Memória, em Santiago,  é uma proposta experimental, que convida a refletir sobre os avanços nas análises do DNA na relação com a história política chilena. (leia mais)
 
Add a comment